Notícias

Posse da nova diretoria (2017 – 2020) é destaque no ‘Shalom Brasil’ de 15/04/17

 

Cremação vai contra os princípios do judaísmo

Rabino Henry I. Sobel

O cemitério judaico é um local de encontro com o nosso passado. Ao visitar aqueles que partiram, sentimos sua contínua presença em nossa vida. Tal sentimento se coaduna perfeitamente com um dos nomes que designam o cemitério em hebraico: Beit Chaim, ‘Casa da Vida’.

Uma entidade que tem sob seus cuidados um cemitério judaico é, por sua própria natureza, um dos alicerces da comunidade. A Chevra Kadisha é, literalmente, uma ‘sociedade sagrada’, composta de belos seres humanos que se dedicam de corpo e alma a preservar a dignidade dos mortos. É um trabalho dos mais nobres.

Kibud há’met, o respeito pelos mortos, é um princípio fundamental do judaísmo e explica muitas das leis relacionadas ao sepultamento. É com base nesse preceito que se proíbe a cremação. Somos ordenados a “retornar o corpo ao solo” (Gênesis, 3:19) e deixar que ele se decomponha naturalmente, sem interferência externa.

A cremação é considerada uma mutilação da substância física do falecido e uma ofensa à essência de seu espírito. Somente honrando o passado é que podemos assegurar o futuro.

A Páscoa Judaica

Clara Kochen*

Se fosse possível resumir em uma só palavra o significado da Páscoa Judaica (Pessach), essa palavra seria ‘liberdade’. A Páscoa hebraica comemora todos os anos, durante uma semana, a saída dos judeus do Egito onde eram escravos, rumo à liberdade.

Todos nós que somos escravos de horários, trabalho, deveres e obrigações sabemos o valor dos momentos em que podemos nos liberar desses compromissos e por analogia passamos a compreender o porquê da alegre comemoração desse evento.

Comemorando a redenção da escravidão, reúne-se a família durante as duas primeiras noites dessa semana em jantares festivos onde é contada a história da longa caminhada pelo deserto, ensinando especialmente às crianças, os princípios éticos e o ideal que manteve o povo unido na esperança de serem livres.

Episódios bíblicos dessa ocasião determinaram o costume de não comer pão ou alimentos fermentados durante esses dias, o que fez com que as famosas mães judias criassem, para compensar, um original e criativo festival gastronômico nessa semana.

A observância dos preceitos e tradições da Páscoa e seus costumes variam de acordo com o país de origem da família e também com seu grau de religiosidade.

Mas, como em todas as ocasiões de alegria do povo judeu, é importante lembrar o preceito de louvar a D’us, enviando donativos e alimentos para os necessitados.

A páscoa judaica e a páscoa cristã, embora distintas em sua essência, abordam ambas o mesmo tema da libertação, do ressurgimento e da esperança. Mencionar diferenças conduz ao afastamento, mas quando o enfoque são as semelhanças, a tendência é a união.  E união é PAZ, é SHALOM.

*Clara Kochen é presidente do Conselho Deliberativo da Chevra Kadisha.

 

Pagamento da manutenção em 2016 será por meio de carnê

O carnê é composto por 14 boletos, sendo 12 mensais e consecutivos de janeiro a dezembro, 1 referente ao décimo terceiro e 1 para opção de pagamento de parcela única, com 8% de desconto. Aqueles que possuem DDA – Débito Direto Automático contratado junto ao seu banco, além de receber os boletos por meio eletrônico, também receberão os carnês em sua residência. Para saber a referência do carnê, verifique no campo “Sacador/Avalista” no corpo do boleto o nome do beneficiário. Em caso de vencimento da parcela, a mesma poderá ser reemitida on-line, no endereço https://www.itau.com.br/servicos/boletos/atualizar/. Mais informações pelo telefone 3329-7070, ramais 710 ou 712, ou pelo e-mail  faleconosco@chevrakadisha.org.br.

 

Presidente da Chevra, Claudio R. Hirschheimer concede entrevista ao Mosaico na TV (agosto/2015):

Programa Mosaico acompanha estudantes do Renascença no Cemitério de Vila Mariana (março/2015)

Reportagem no ‘Shalom Brasil’ aborda visita de alunos do Renascença ao Vila Mariana (março/2015)
https://youtu.be/d8pqi_qq8sY

Em série sobre os 70 anos da libertação de Auschwitz, Jornal da Record destaca Monumento em Memória às Vítimas do Nazismo, no Butantã (janeiro/2015)

 

Colégio Renascença inclui visita ao Vila Mariana no Ensino Médio (janeiro/2015)

  • Portal Pletz destaca 95 anos do Vila Mariana e sepultamento no Embu (setembro/2014):

 

http://www.pletz.com/blog/cemiterio-judaico-da-vila-mariana-completa-95-anos/

http://www.pletz.com/blog/um-enterro-digno-para-um-judeu-abandonado/

 

  • Atuação religiosa da Chevra é tema de reportagem no programa Shalom Brasil (agosto/2014):

 

Chevra participa da Marcha da Vida Regional
Cerca de mil pessoas participaram da 11ª Marcha da Vida Regional (foto no alto da página), promovida pela Chevra Kadisha e Federação Israelita do Estado de São Paulo, com o apoio da Sherit Hapleitá do Brasil. O ato foi realizado em 27 de abril de 2014, com uma caminhada silenciosa de 2 Km pela av. Eng. Heitor Antonio Eiras Garcia até o Cemitério Israelita do Butantã, onde foram acesas tochas em memória aos 6 milhões de judeus mortos pelo nazismo na Europa (1939 – 1945).


Posse da diretoria (gestão 2014-2017) em destaque no Shalom Brasil (abril/14):