Embu

O mais novo cemitério da comunidade judaica de São Paulo foi inaugurado em 2001, num terreno de 50 alqueires, no município do Embu, na Grande São Paulo.

Englobando um parque de araucárias que constitui área de preservação ambiental, o campo santo abriga também lagos com peixes ornamentais, sendo um local bucólico, cujas dimensões tranqüilizam a comunidade judaica pelas próximas décadas quanto à necessidade de se adquirir novas áreas para tal finalidade.

Em 2006, foi instalado ali o Museu Aberto, área, como o nome já diz, descoberta, que abriga sepulturas de integrantes da comunidade judaica que, por razões diversas, foram enterrados em cemitérios não judaicos.

A partir de pesquisas (sobrenomes, certidões de óbito, inscrições hebraicas e símbolos judaicos nas lápides) em cemitérios municipais e particulares do Estado de São Paulo, o rabino Shie Pasternak e o professor Abrão Bernardo Zweiman providenciam o traslado para o Embu e o sepultamento dos restos mortais de acordo com os rituais religiosos.


Galeria de imagens